Um blog sobre qualquer coisa que valha a pena escrever.

Arquivo para maio, 2008

Ajude o Firefox a entrar para o Guiness

O Firefox já é o melhor navegador do mundo. Ele é mais leve, abre as páginas mais rápido, é mais bonito, mais seguro e ainda tem um monte de ferramentas e complementos que facilitam muito a nossa vida. Na versão 3.0, que está para ser lançada, ele promete ser ainda melhor.

Para divulgar essa nova versão, a Mozilla criou o Download Day. É um site onde você indica seu país e seu e-mail e no dia do lançamento é lembrado de fazer o download. O objetivo é entrar para o Guiness como o programa mais baixado do mundo em 24 horas.

Achei essa ação da Mozilla muito legal. Criando um verdadeiro evento em cima do lançamento da nova versão do navegador, com certeza, muita mídia espontânea vai ser gerada. E mesmo que o recorde não seja batido, ainda acho que a ação vai ter sido muito válida, porque além da mídia espontânea que já falei, vai estreitar ainda mais a relação de lovemark que o Firefox já tem com seus usuários.

Eu já dei a minha contribuição para o recorde. Dê a sua também! Clique aqui.

Via.

Rota 66

Ontem eu terminei de ler Rota 66 – A história da polícia que mata. Não achei tão bom como eu tinha ouvido falar, mas, mesmo assim, vale a pena ler. Resultado de um trabalho de pesquisa corajoso e impressionante do jornalista Caco Barcellos, o livro conta a história de um verdadeiro grupo de extermínio “oficial” que existiu na Polícia Militar de São Paulo.

Depois de torturar e matar (muitas vezes de forma covarde) suas milhares de vítimas inocentes, os matadores da PM alteravam a cena dos crimes para dificultar o trabalho posterior da perícia e ainda registravam nos boletins de ocorrência que eles é que tinham sido as vítimas na história. Apesar de todas as testemunhas e provas de que eram culpados, os matadores acabaram sempre absolvidos por seus pares nos tribunais militares, o que serviu de estímulo para que a matança continuasse por muitos anos.

Outdoor sangrento para divulgar Kill Bill

Para divulgar que Kill Bill, um filme em que o sangue literalmente jorra, estará na programação da TV2, a Saatchi & Saatchi Nova Zelândia usou uma mídia tradicional de uma forma alternativa para criar uma ação ambiente muito legal.

Feito dessa forma, esse outdoor, com certeza, não foi só mais um entre os vários que as pessoas vêem todos os dias.

Via.

Regulamentação do marketing online no Reino Unido


Crédito

É de se aplaudir a atitude das autoridades do Reino Unido, que decidiram, a partir de hoje, regulamentar o marketing online, incluindo vídeos virais, blogs e campanhas em redes sociais. Agora, 31 práticas de marketing na Internet poderão ser punidas, inclusive com multa (7 mil dólares) e prisão (2 anos) caso enganem os consumidores.

Eu acho que com essa medida todo mundo ganha: os consumidores, que não vão mais ser enganados, as empresas, que vão sofrer menos processos e não vão mais terem suas marcas arranhadas e, por fim, a publicidade, que vai ter uma forma a menos de ter sua credibilidade questionada. Tomara que alguma coisa parecida seja feita logo também no Brasil.

Via.

O tiro no pé da Traduttori Traduções


Crédito

Para divulgar a Traduttori Traduções, um curso de inglês pequeno de Brasília, a AgênciaClick criou uma péssima ação: colocou no ar falsas traduções dos começos de episódios piratas de Lost que rodam por aí, como a que você pode ver clicando aqui.

Eu concordo com a agência, que no vídeo-case que pode ser visto clicando aqui, fala que a ação fez a Traduttori ficar conhecida em todo o país. Só acho que faltou falar que esse conhecimento de marca foi negativo. Eu não baixo os episódios piratas de Lost, mas se eu baixasse, e eles viessem com essa falsa tradução, eu ia ficar tão puto que se um dia precisasse escolher um curso de inglês eu ia ter uma única certeza: com certeza, não ia ser a Traduttori.

O que me espantou nisso tudo não foi a ação em si, já que a publicidade está cheia desses lixos, mas a agência responsável, a AgênciaClick. E, principalmente, o fato da ação ter sido premiada no Wave Festival, do Meio & Mensagem, quando, na verdade, deveria servir de exemplo do que existe de pior na publicidade.

Via.

Speed Racer

É lógico que Speed Racer não fez parte da minha infância, mas hoje fui ver a adaptação do anime da década de 60 para o cinema. O primeiro motivo foi a fama que o desenho tem ainda hoje. E o segundo, e principal, foi pela adaptação ter sido produzida pelos irmãos Wachowski, os mesmos da trilogia Matrix e de V de Vingança.

Achei o filme muito legal. A história é bem simples, mas as cenas de ação, que não param, garantem a diversão facinho. Sem contar que a fotografia, com uma câmera que chega até a tirar o fôlego, e a direção de arte, que é linda, já valem, por si só, o ingresso. Se você ainda não viu, veja. Se já viu, concorda com o que eu falei aqui?

Assista o trailer legendado:

7º Festin – 2º dia


Crédito

O 2º e último dia do 7º Festin (Festival Universitário de Propaganda do Interior) não foi tão bom como o 1º, mas teve uma palestra do Marcelo Teixeira, gestor de captação de recursos para projetos de responsabilidade social, que vale destacar.

Marcelo falou da importância de se conhecer muito bem os conceitos de responsabilidade social e, assim, evitar micos que acabam com a credibilidade em reuniões e apresentações. Ele também contou que hoje as empresas querem tanto se tornar socialmente responsáveis que o negócio de dar treinamento em marketing social se tornou um dos mais lucrativos.

Marcelo ainda deu algumas dicas para a criação e a comunicação de ações de responsabilidade social:

  • as melhores ações são as que têm a ver com o segmento da empresa
  • nos anúncios sempre usar personagens reais, ao invés de modelos
  • nos anúncios, dar números que demonstrem o monitoramento e a avaliação da ação

Sobre o concurso de criação de campanhas, que esse ano teve o tema “Bebida e direção”, eu achei que a peça que ficou em primeiro lugar era muito boa mesmo, mas que a que ficou em terceiro era muito melhor do que a que ficou em segundo. Assim que a APP colocar essas peças no ar, eu posto aqui, combinado?

Só para terminar, eu queria dar os parabéns para a APP Ribeirão pela organização do evento e pelo nível das palestras, mas também sugerir que no ano que vem o processo de inscrição permita o pagamento por boleto bancário, que é muito mais prático do que o depósito.

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: