Um blog sobre qualquer coisa que valha a pena escrever.

No final de semana passado assisti à 1ª temporada de Breaking Bad, a série que conta a história de um professor de química que se descobre com um câncer de pulmão em fase terminal e decide começar a produzir e vender metanfetamina como forma de deixar uma herança para a família depois que morrer. Achei demais, principalmente pela combinação exata de drama e humor (sim, é possível).

Já estou ansioso pela 2ª temporada que, por enquanto, está passando no Sony.

Terminei de ler “Conexões empreendedoras“, o livro do meu amigo Renato Andrade de que falei aqui e fiz um mapinha mental para servir como refresco de memória para quem já leu e como teaser para quem ainda não leu:


Clique para ampliar

É com grande prazer que posto hoje aqui sobre “Conexões Empreendedoras“, o livro que meu amigo Renato Fonseca, de quem já falei aqui, está lançando.

O livro traz em primeira pessoa, na forma de causos, as experiências e aprendizados que o Renato teve ao longo de 16 anos no mundo do empreendedorismo e das redes sociais.

Tive a oportunidade de colaborar na revisão do livro e posso afirmar com certeza, e não apenas porque o Renato é um grande amigo, que a leitura vale muito a pena, principalmente os capítulos sobre habilidades empreendedoras e sobre articulação social.


Eduardo Martino/Cocumentography

As lan houses populares estão mesmo bombando no nosso Brasil varonil século XXI. Depois de serem tema de uma série apresentada por Regina Casé no Fantástico, essa semana dão o ar da graça numa matéria muito interessante na Veja.

Local de acesso à Internet de mais de 32 milhões de brasileiros, metade dos usuários de Internet no país, as lan houses populares se espalharam por todos os lugares – só na favela de Heliópolis são 42 -, de fundos de casas particulares a salões de cabeleireiros e locadoras.

A matéria de Veja conta três histórias muito interessantes que destaco aqui:

  • Dejaíra Barbosa  é uma agricultora de Manari, sertão Pernambucano. Usa a Internet para consultar a previsão do tempo e “ficar sabendo o dia de plantar e de fazer as canaletas para estocar a água da chuva na barragem.” Numa cidade em que a água chega a faltar nas casas durante 20 dias seguidos, uma informação dessas vale ouro, ou quase.
  • Antônio Rodrigues Filho mora em Heliópolis – maior favela de SP – e lá possui um mercadinho com 16 computadores ligados na rede. O curioso é que ele não sabe nem ligar um computador. “Sou analfabeto, não tenho curiosidade nem paciência para fazer isso, não.”
  • Gleide Gomes mora na favela de Antares, no Rio e vê como como um investimento o tempo que os três filhos passam em lan houses da vizinhança. Como a família mora em uma área dominada por uma facção criminosa, o passatempo evita que os filhos fiquem na rua, à mercê dos traficantes.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui. Vale muito a pena.

o dia de plantar e de fazer as canaletas para estocar a água da chuva na barragem


Crédito

Segundo pesquisa divulgada ontem pelo Vox Populi, Dilma cresceu 5% em relação à última pesquisa, chegando a 38% e ultrapassando, pela primeira vez, José Serra. Segundo a mesma pesquisa, Dilma venceria, inclusive, no 2º turno, com 40% dos votos.

Ainda bem que a pesquisa foi feita pelo Vox Populi, instituto de pesquisa mais vendido que picolé em dia de calor intenso.


Crédito

Odeio o Dourado. Acho ele um troglodita, um homem das cavernas. E, claro, não gostei nem um pouco dele ter sido o grande vencedor do Big Brother Brasil 10. Mas entendo como, ou porque ele ganhou.

“Dougado”, como diria Dicesar, é a cara do Brasil. Um cara sofrido, para não dizer fo****. Por isso, o brasileiro médio vê nele a representação do seu próprio sonho: ter uma segunda chance e melhorar de vida. Simples assim.

Sem mais.

Hoje terminei de ler “Milagre nos Andes – 72 dias na montanha e minha longa volta para casa“.

O livro é um relato impressionante dos mais de dois meses que Nando Parrado passou preso nos Andes argentinos depois que o avião que levava seu time de rugby para um amistoso no Chile caiu nas montanhas. Sem a pretensão de ser auto-ajuda, o livro, ensina lições valiosas ao mesmo tempo em que é uma leitura super agradável.

Me siga no Twitter: http://twitter.com/felipemendes87

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: